Estimulação Magnética Transcraniana

A estimulação magnética transcraniana (rtMS) é uma técnica de estimulação cerebral não invasiva e com fins terapêuticos. Está aprovada oficialmente para tratamento da depressão, embora já tenha sido utilizada com bons resultados noutras patologias.

Baseia-se na criação de campos magnéticos que irão actuar sobre áreas específicas do cérebro, modulando essas células.

É um tratamento seguro, indolor, sem anestesia e que não implica a utilização de fármacos, com um bom perfil de efeitos secundários, sem afectar a memória.

É um tratamento muito eficaz e incisivo, com resultados mais rápidos do que a medicação antidepressiva. Está especialmente indicado para pessoas cuja depressão não tenha respondido à medicação, mas também para quem os efeitos secundários dos fármacos sejam intoleráveis.

Método

Indicações

É utilizado um aparelho gerador de campos magnéticos, o qual se posiciona junto da cabeça do paciente, posição essa que é desenhada previamente de modo individualizado.
Em cada sessão é accionada uma sequência de estímulos que irão incidir nas zonas pretendidas do cérebro, sendo a intensidade dos estímulos escolhida de acordo com as particularidades do sujeito.
Durante o tratamento não há alteração de consciência, nem há necessidade que qualquer anestesia.
Terminada a sequência de estímulos, termina a sessão, e após alguns segundos o doente poderá levantar-se, sendo a recuperação imediata.
Para cada tratamento estão previstas 20 sessões, a realizar diariamente de 2ª a 6ª feira (duração total de 4 semanas)

A FDA (The Food and Drug Administration, E.U.A) aprovou a rTMS para o tratamento da Depressão, no qual tem demonstrado benefício de forma consistente.
É um tratamento adequado para situações em que os efeitos adversos dos medicamentos sejam intoleráveis e tem especial indicação para casos de depressão refractaria à terapêutica, ou seja, após fracasso de vários tratamentos medicamentosos.
Apesar de só ter aprovação oficial para tratamento de depressão, a rTMS tem sido utilizada off-label em várias outras situações com resultados animadores, nomeadamente:

- Reabilitação pós AVC

- Dor neuropática

- Tinnitus (zumbido persistente)

- Enxaqueca

As ondas magnéticos geradas pelo aparelho atravessam o crânio e vão actuar no cerebro de forma localizada, isto é, numa área correspondente a uma moeda de 2 euros.
A zona cerebral escolhida para ser alvo dessas ondas varia consoante a patologia em questão.
O efeito das ondas magnéticas modifica directamente a actividade celular dessas áreas cerebrais, o que irá traduzir-se em melhoria dos sintomas.

Modo de actuação

Efeitos secundários e contra-indicações

Os efeitos adversos são mínimos e não se verificam na maioria das pessoas que fazem o tratamento, mas já houve relatos pontuais de dores de cabeça ligeiras e zumbidos, ambos transitórios

Há poucas contra-indicações absolutas para o tratamento - as situações que impossibilitam o tratamento são as mesmas que se aplicam à realização de Ressonância Magnética. 

Resultados e Eficácia

Tem eficácia comprovada no tratamento da depressão, superior à dos antidepressivos nos casos resistentes. Além disso, os resultados são mais rapidamente visíveis do que no tratamento com fármacos.

FAQs

Só se tiver depressão grave é que o tratamento me ajuda?

A estimulação magnética transcraniana está aprovada como tratamento da Depressão Major, independentemente do tempo de evolução e da gravidade dos sintomas.

Tem um papel particularmente importante no tratamento da Depressão Refractária, em que há varias tentativas frustradas de tratamento à base de medicamentos.

Além disso, apesar de não ter aprovação oficial para outras patologias, esta técnica de neuromodulação tem sido aplicada em várias patologias com resultados favoráveis. 

Nestas incluem-se varias patologias psiquiatricas (como Perturbação Obsessivo-compulsiva, Perturbação de Pânico, Esquizofrenia), mas também em problemas não-psiquiatricos (recuperação da funcionalidade após AVC, patologia da dor, sensação de zumbido persistente,...)

Quanto tempo devo fazer o tratamento? demora muito a ver-se resultado?

Os protocolos utilizados para o tratamento da depressão pressupõem 20 sessões, uma por dia, a realizar nos dias úteis, pelo que a duração total do tratamento será 4 semanas.

O número de minutos de cada sessão pode variar consoante o tipo de protocolo, nunca excedendo uma hora.

É seguro?

Sim. O perfil de segurança da estimulação magnética transcraniana foi verificado amplamente na prática clínica e em meio de investigação, garantindo a segurança da sua utilização.

É doloroso?

Não, sendo em geral muito bem tolerado. Embora uma minoria de doentes refira por vezes uma sensação ligeiramente desconfortável na cabeça durante o tratamento, esta sensação não chega a ser dolorosa, e é geralmente transitória.

Precisa de anestesia? Ficarei inconsciente?

O tratamento não envolve qualquer sedação, não havendo qualquer alteração da consciência durante ou após a sessão. 

Provoca convulsões?

Não. O tratamento não provoca convulsões nem qualquer outra alteração neurológica, como perda de consciência ou memória.

Tenho de parar os medicamentos que estou a fazer?

O tratamento, além de não requerer a introdução de qualquer fármaco, não tem qualquer interacção com medicamentos que o doente tome previamente, pelo que permite continuá-los sem que haja interferência.

Se tiver próteses posso fazer o tratamento?

As únicas situações que afectam a segurança do doente durante a estimulação magnética transcraniana são aquela em que há presença de alguns materiais metálico no interior do crânio ou na área mais próxima da cabeça.

Assim sendo, a maioria das próteses metálicas na cabeça impossibilita a realização do tratamento. 

De resto, próteses ou acessórios que não sejam metálicos ou que se encontrem distantes da cabeça não interferem como as ondas magnéticas criadas e não afectam a segurança ou eficácia do tratamento, pelo que são permitidas.

Para referência, as situações que contra-indicam o tratamento são as mesmas que impedem a realização dos exames por Ressonância Magnética.

Qual é a idade máxima para o tratamento?

Não existe idade limite para realização de estimulação magnética transcraniana em adultos.

Posso fazer o tratamento se estiver grávida? 

Sim. As ondas magnéticas usadas neste tratamento, ao contrário da grande maioria dos medicamentos, não têm impacto no curso da gravidez, nem afectam a amamentação, pelo que é segura nestas situações

 

O que é?

Press

 
 

Dr. Rui Neves, psiquiatra, em entrevista no Bom Dia Portugal, RTP1.

Contacto